• A Catuaba é Mesmo Selvagem Nas Redes Sociais?


    Desde o famigerado ano de 2016, a Catuaba Selvagem vem causando um furor positivo nas redes sociais pela maneira que vem se posicionando e interagindo com o público nas redes sociais.

    Em junho do ano passado, a mais selvagem das Catuabas levou a internet a loucura ao anunciar com todo bom-humor o lançamento do sabor açaí da bebida.

    “Seguinte, pessoal: a Catuaba com Açaí não é ilusão nem onda errada. É a filha mais nova da família Selvagem, que nasceu nas ruas e nos carnavais muito antes da gente sonhar com a ideia. Por isso mesmo, o risco da marca gourmetizar é igual a zero”, anunciou.




    Agora, em 2017 a empresa iria experimentar sua maior prova de fogo, ao enfrentar uma crise que pôs a prova seu jeito selvagem de agir nas redes sociais.

    Tudo começou no domingo dia 8 de janeiro de 2017 quando o youtuber João Marcos Oliveira, conhecido como uJoãozinho Vine, estava de rolê em um supermercado com suas amigas, quando resolveu fazer um vídeo e postar em seu perfil no Facebook em que mostrava que garrafas da Catuaba sabor açaí estavam supostamente cheias de larvas dentro.

    João e as amigas concluíram que todo estoque de Catuaba do mercado estava contaminado e sentenciaram “Tá em todas, olha aqui. Nunca mais eu tomo Catuaba”.

    E após um outro youtuber de codinome Natinho ter compartilhado a  postagem em seu facebook, o caso viralizou rapidamente nas redes sociais e a imagem da bebida do casal seminu no rótulo parecia estar manchada para sempre devido a análise e opinião de uma web celebridade que parece ser menor de idade.


    E agora, será que a reputação da Catuaba estaria perdida?

    Justo no momento que sua fanpage chamava atenção pelo ótimo trabalho de marketing de oportunidade. A exemplo de quando provocaram a cerveja Proibida, que havia lançado uma cerveja delicada e perfumada, feita “especialmente” para mulheres: Proibida Puro Malte Rosa Vermelha Mulher que não agradou em nada o paladar de muitas mulheres que acusaram a empresa de um posicionamento machista.


    Na rabeira desta polêmica da Proibida, a Catuaba Selvagem logo desferiu a seguinte mensagem em sua página do facebook:


    Voltando aos vermes na garrafa...

    A Catuaba mostrou mais uma vez que é mesmo Selvagem nas redes sociais. Em muito pouco tempo após a viralização do vídeo, a empresa tratou logo de responder as acusações de contaminação de seu produto e protagonizou o que muitos consideraram como “uma aula de gerenciamento de crise” nas redes sociais.

    A primeira ação, tomada dois dias após a acusação (terça-feira, 8 de janeiro de 2017) , foi deixar uma mensagem na postagem do vídeo em que procurava o youtuber para explicar tudo e ainda convidar ele e seus amigos para uma visita a fábrica da Catuaba.

    A resposta da Catuaba viralizou, gerando para marca um grande engajamento do público que deixou milhares de curtidas, comentários positivos e novos fãs. 


    Após toda exposição e ver que havia se enganado quanto as acusações, o youtuber postou um novo vídeo se retratando do ocorrido.

    Além de pedir desculpas a Catuaba, João disse ter aceito o convite de conhecer a fábrica da empresa.


    Nota minha (atualizada as 11:43 em 12/01/2017):

    Como bem lembrou um integrante de um grupo de profissionais de social media que sigo no facebook, "a Selvagem ignora normas do CONAR e do bom senso e interage com um público jovem demais."

    Esta advertência a bebida alcoólica é válida, já que o CONAR (Conselho Nacional de Auto-regulamentação Publicitária) é bem claro e enfático em seu Código Brasileiro de Auto-regulamentação Publicitária ao dizer:

    Princípio da proteção a crianças e adolescentes: não terá crianças e adolescentes como público-alvo. Diante deste princípio, os Anunciantes e suas Agências adotarão cuidados especiais na elaboração de suas estratégias mercadológicas e na estruturação de suas mensagens publicitárias. Assim: crianças e adolescentes não figurarão, de qualquer forma, em anúncios; qualquer pessoa que neles apareça deverá ser e parecer maior de 25 anos de idade.

    Assim, o conteúdo dos anúncios deixará claro tratar-se de produto de consumo impróprio para menores; não empregará linguagem, expressões, recursos gráficos e audiovisuais reconhecidamente pertencentes ao universo infanto-juvenil, tais como animais “humanizados”, bonecos ou animações que possam despertar a curiosidade ou a atenção de menores nem contribuir para que eles adotem valores morais ou hábitos incompatíveis com a menoridade.

    Só espero que a Catuaba, nessa visita, peça para checar a identidade do garoto. Afinal, oferecer bebidas a menores de idade é crime.

    Esta sim seria uma crise bem mais selvagem de domar, não é mesmo?

    Sendo ele menor (não sei se é mesmo), a catuaba ainda o convida para visitar a fabrica?! Mas não vou ser estraga prazeres e devo admitir que sim, o posicionamento da Catuaba foi mesmo assertivo.

    Suposições aparte, para lacrar de vez e tirar toda sombra de dúvida sobre a confiança e qualidade da Catuaba, a empresa ainda postou um vídeo em seu facebook em que mostra todo processo de controle de qualidade do produto. Confira aqui o vídeo

    Um case de sucesso da agencia PróBrasil de Belo Horizonte que cuida da conta da Catuaba.

    E um brinde para quem, como eu, adora um bom estudo de caso.,

    Fontes:

    http://exame.abril.com.br/marketing/catuaba-selvagem-lanca-versao-de-acai-e-internet-enlouquece/

    http://adnews.com.br/social-media/catuaba-selvagem-da-aula-em-gerenciamento-de-crise.html

    http://adnews.com.br/social-media/catuaba-selvagem-trolla-cerveja-feminina-da-proibida.html

    http://www.conar.org.br/codigo/codigo.php

    http://www.probrasilpropaganda.com.br/


  • 0 comentários:

    Postar um comentário