• Cemitério Jardim da Ressureição: Um Case de Marketing em Midias Sociais Para Morrer de Amor


    Se o tema morte é tabu para grande parte de nós relis mortais, imagina quando esse ser humano é um publicitário e tem que criar uma campanha ou ação de marketing para uma empresa funerária?

    O perfil da empesa CemitérioJardim da Ressurreição no Facebook existe para mostrar que, nesse negócio, literalmente, a publicidade é alma do negócio.

    As postagens feitas na Fanpage do Cemitério Jardim da Ressurreição vem surpreendendo muitos internautas pela forma bem-humorada e leve que abordam a matéria prima de seus serviços: a morte.

    Sabem aproveitar muito bem as oportunidades, se apropriando dos principais memes, polêmicas e piadas que surgem na internet, adaptando a uma linguagem visual e discursiva própria, que eles tem construído ao longo do tempo.

    Muitas empresas ainda não usufruem das redes sociais de forma assertiva, como um espaço que é muito mais para criar relacionamento com o público, onde a “venda” de seus produtos/serviços acontece quase que como resultado da entrega de conteúdo qualificado.

    Analisando a Missão e Visão do Cemitério Jardim da Ressurreição e acompanhado o trabalho que tem feito no Facebook é nítido constatar que tudo foi feito com profissionalismo, planejamento bem executado e criatividade.

    E muito mais dos ingredientes necessários para a chamada “fórmula de como as empresas devem se posicionar no mundo digital” e que muitas se matam de tanto procurar e não acham:

    Missão e Visão do Cemitério Jardim da Ressurreição

    MISSÃO: Fornecer serviços de extrema qualidade em um ambiente acolhedor e sustentável, valorizando o respeito as diferentes crenças, perpetuando sempre a história das famílias com ética profissional e atendimento humanizado.

    VISÃO: Ser referência como um dos melhores Cemitérios Parque do Nordeste.

    Como começou esse negócio de falar de morte no Facebook?

    Em uma entrevista ao site Agora Publicidade, Eudes Jr., diretor da CJFlash, agência de publicidade piauiense responsável pela comunicação do local, esclarece como todo planejamento de marketing começou e é feito:

    Eudes explica que tudo começou como um case experimental, com a ideia principal de aumentar a quantidade de seguidores e engajamento utilizando conteúdo.


    “Comparamos os resultados dos posts institucionais com os mais descontraídos. Já que o assunto cemitério não desperta interesse em ninguém, o humor seria uma forma de desmistificar o tema e despertar interesse na página. Inicialmente os posts eram variados e fazendo a análise resolvemos seguir a linha do que tinha um feed mais positivo”.


    O objetivo foi alcançado?

    Em junho de 2015, a página do cemitério ficou morta de feliz quando nesta data dobrou seu número de seguidores.


    Os Resultados? Muitos vão morrer de inveja


    Em seu site, a agência destaca que o trabalho feito pelo Cemi (forma carinhosa pelo qual os fãs se referem a página do Cemitério) resultou em uma exposição espontânea na mídia nacional, levando sites de veículos como Terra, Uol, Globo, Exame, Veja, dentre outros especializados a publicarem notícias sobre o cemitério.

    Tudo isso gerou retorno positivo ao cliente a nível local.

    “Existem posts com mais de 180 mil pessoas alcançadas e mais de 50 mil engajamentos, o que inclui curtidas, comentários e compartilhamentos. E isso resultou em maior visibilidade, reposicionou e consolidou a marca, consequentemente, gerando mais vendas” comenta a agência em seu site


    Este já um dos pefis nas redes sociais que deixei salvo em meus favoritos, para ser notificado a cada nova atualização.

    Posso de dizer que, a cada novo post eles surpreendem, seja na assertividade das sacadas criativas, adaptação de memes ou mesmo em criar peças de forma bem-humorada, que resgatam elementos da cultura popular como expressões que são comuns de se escutar no dia a dia, cujo tema é a "morte". Aquelas frases pontas que dizemos ou escutamos dizer nos velórios.




    E já que quebraram tabus ao fazer sucesso “brincando com a morte”, eles acertam até mesmo quando o assunto envolvem questões de problemáticas sociais:

    Lembra quando quase morremos de vergonha do PPT usado para provar que um tal político era mesmo culpado por darPT no pais?


    Mesmo sem provas, o cemitério teve muita convicção em provar o que vão comentar no seu velório.



    Na época do hype de Star Wars episódio VII, podia jurar que o personagem que morre no filme teria no Cemitério Jardim da Ressurreição um Solo garantido para descansar em paz.


    São tantos os motivos que morro de amor por este case de Marketing em Mídias Sociais, que poderia levar a vida toda para descrever.

    Enquanto minha hora não chega, ainda vou viver muito para ver este Cemitério crescer nas redes.


    Fontes:

    http://www.agorapublicidade.com.br/2015/07/um-cemiterio-que-investe-em-marketing.html

    https://www.mundodomarketing.com.br/index.php/cases/33988/cemiterio-faz-seguidores-morrerem-de-amor-por-fanpage-no-facebook.html

    https://www.buzzfeed.com/gasparjose/esta-pagina-vai-fazer-voce-perder-o-medo-de-cemiterios?utm_term=.eqAWv5mo6&bffbbrazil#.rfxvOjMDY


    http://www.cjflash.com.br/noticia,agcencia-cjflash-ce-a-cunica-representante-do-estado-no-4-u-encontro-de-mcidias-em-scao-paulo,134.html


    Elidio Santos
    Elidio Santos
    Poeta | Escritor Criativo | Especialista em Redação Publicitária e Criação de Narrativas | Inventor dos heterônimos Manay Deô | Salatiel | Aristiliano | Canistro Balthamos | Solenildo | Aster Yrota | Co-Criador do Canal no YouTube Dose Publicitária
    Fale com Elidio Santos - > 📬 elidio.publicitário@gmail.com
  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Doses em destaque

    Postagens mais visitadas

    Postagens mais visitadas